Cidade mãe do Vale do Aço, nas décadas de 1960 e 1970, Coronel Fabriciano orgulhava-se de acolher uma das mais efervescentes vida noturna do inteior mineiro

História

 

Centro de Coronel Fabriciano na década de 1950 e 2019 – Foto: Elvira Nascimento

A formação do povoado do Calado, associado ao fluxo de tropeiros, ocorreu em meados do século XIX. A povoação, entretanto, germinou antes no atual distrito de Melo Viana, conhecido na época como Santo Antônio do Gambá. Com a inauguração da EFVM, em 1924, o incipiente núcleo urbano experimenta seu primeiro ciclo de desenvolvimento. Em seguida, o número de habitantes aumenta com a chegada do escritório regional da Belgo Mineira, para exploração de carvão vegetal. Após 1944, com a instalação da Companhia Aços Especiais Itabira, a Acesita, o antigo povoado suplanta Antônio Dias, da qual era distrito. Emancipa-se em 1948. Posteriormente, até a emancipação dos distritos de Timóteo e Ipatinga, em meados dos anos 1960, torna-se uma das mais importantes cidades do interior mineiro.

Atrações

Tradições culturais como as marujadas, o artesanato e celebrações religiosas como as festas de São Sebastião, da Semana Santa e de Corpus Christi atraem muitos visitantes. Na Serra dos Cocais estão concentrados diversos atrativos naturais como cachoeiras, trilhas e montanhas que propiciam desde a simples visitação até a prática de esportes radicais, como mountain bike, escaladas, trekking, rapel, trilhas e automobilismo off-road.

Com clima de montanha, com baixa temperatura em todas as estações do ano, a Serra dos Cocais além dos atrativos naturais que encantam o visitante, realiza um rico calendário de eventos, onde os costumes e as tradicões das diversas comunidades ali estabelecidas são fortalecidas.

Colégio Angélica

O colégio Angélica, fundado na década de 1950, foi um dos principais estabelecimentos de ensino de todo o Médio Rio Doce. Construído pela Belgo Mineira, o educando que graduava apenas pessoas do sexo feminino, tinha em sua grade de ensino o curso Normal. O Colégio era administrado pela congregação das Imãs Carmelitas.

Colégio Angélica, inaugurado em 1952 – Foto: Elvira Nascimento

A Igreja Matriz de São Sebastião construída na década de 1940, tinha seu paroquiado subordibado à Diocese de Mariana. Sua construção contou com diversas atividades voltadas a levantar donativos para aquisição de material. Na construção do adro, diversas mulheres do antigo povoado participaram do transporte de terra para o aterro.

Igreja São Sebastião, construída na década de 1940 – Foto: Elvira Nascimento

 

Os principais núcleos urbanos da Serra dos Cocais, são: Santa Vitória dos Cocais e São José dos Cocais. Ambos formaram-se em torno de um rancho tropeiro, no período que a região era travessia de diversas tropas que faziam o tráfego entre Joanésia a Santa Bárbara e outras cidades do centro do estado. Santa Vitória dos Cocais é sede do Marujada dos Cocais e da igreja de Santa Vitória. Na localidades realiza-se diversos eventos que remetem à história regional, como as Festas do Rosário, Festas das Marias e José, Noite da Prosa, Festa dos Tropeiros, Encontro de Cavaleiros entre outros.

Quitandas, cachaça de boa qualidade e hostaliças orgânica é o que o visitante poderá trazer, além das boas lembranças de um passeio rico em novas vivências.

A Marujada do Cocais mantém a tradição nas celebrações da Festa do Rosário – Foto: Elvira Nascimento

Cachoeiras

As cachoeiras da Serra dos Cocais, além de suas belezas cênicas, é também ideal para a prática do esporte de aventura. A Cachoeira da Limeira, uma das mais desafiadoras e belas da região é local preferido pelos praticantes do rapel.

A Cachoeira do Escorrega, com suas águas correndo suave sobre a rocha, é o lugar ideal para o lazer em família.

 

Cachoeira da Limeira, beleza deslumbrante e ideal para a prática do rapel – Foto: Elvira Nascimento

 

Cachoeira do Escorrega, queda d’água suave e piscina natural – Foto: Elvira Nascimento

Mirantes

 Outras atrações de tirar o fôlego, são os mirantes da Serra dos Cocais, com vistas deslumbrantes para a região. O Mirante do Coronel, onde é possível avistar todo o Vale do Aço é um dos lgares mais impactantes. Outro local onde o visitante se sente estar no topo do mundo, é o Mirante do Cachoeirão, onde pode-se avistar a corredeira que no passado serviu de rota para os antigos tropeiros que desciam com as mercadorias para o antigo Calado e o distrito de Timóteo. O mirante do Boi, também é outra vista deslumbrante.

Vista do Mirante do Coronel, onde pode-se avistar todo o Vale do Aço – Foto: Elvira Nascimento

Tropeiros

Marcados pela laboriosa história dos tropeiros, as comunidades do Cocais buscam a sintonia com a sua história e empreende em suas raizes, transformando-as em negócios sustentáveis. A instalação do Monumento ao Tropeiro, marca a institucionalização do Dia Municipal do Tropeiro e investimento em festividades. Durante as festividades, música e dança, como o batuque, gastronomia e contação de causos são elementos que remontam este pioneirismo.

Monumento em aço ao Tropeiro, em Santa Vitória dos Cocais na Praça do Tropeiro. Local estruturado para realização de festas e encontros, inclusive a Festa do Tropeiro na primeira semana de maio

Eventos

Noite da Prosa

O evento é realizado entre os meses de junho e julho com o intuito de resgatar a cultura e as tradições locais, como causos dos tropeiros, repentistas, moda de viola e batuque. Além de barraquinhas e comidas típicas, como frango com palmito e sopa de banana verde.

Local: Serra dos Cocais.

Festa do Rosário

A festa ocorre em setembro. É uma manifestação religiosa católica em louvor a Nossa Senhora do Rosário. São dois dias de festejos – sábado e domingo – com alvorada, apresentação de Banda de Marujos, procissão, levantamento do mastro, trança das fitas, troca de coroas do rei e da rainha, almoço, café e jantar compartilhados com o melhor da gastronomia local.

Local: Serra dos Cocais, Vila de Santa Vitória (Cocais de Baixo).

Festa de São José

Festa religiosa em ao patrono da Igreja de São José dos Cocais. Os fiéis participaram de uma programação especial que une oração, procissão, adoração, encontros, comunhão e celebrações eucarísticas com novena. O evento é realizado no mês de março.

Local: Serra dos Cocais, Vila de São José (Cocais de Cima).

Festa do Boi Balaio

Folguedo tradicional de caráter religioso e profano. A manifestação cultural acontece no Sábado de Aleluia. Após a Missa, o boi confeccionado de balaio corre atrás dois participantes em uma animada brincadeira.

Local: Serra dos Cocais, Vila de São José (Cocais de Cima).

Café com Batuque

Momento de interação da cultura local e oportunidade de deliciar as quitandas produzidas pelos moradores. O grupo de Batuque da Serra dos Cocais faz a apresentação da dança e convida o grupo a interagir na “umbigada”.

Local: Serra dos Cocais, Vila de São José (Cocais de Cima).

Encontro de Tropeiros

Evento alusivo ao Dia Municipal do Tropeiro, 7 de maio, com objetivo de resgatar e valorizar as tradições tropeiras dos desbravadores da Serra dos Cocais. A festa inclui audição de causos, feira com comidas típicas e muita música.

Local: Serra dos Cocais, Vila de Santa Vitória (Monumento aos Tropeiros).

Gastronomia com Rock

Realizado em setembro o festival reúne shows, feiras, oficinas e capacitação gratuita em gastronomia. A festa visa incentivar e promover produtos, alimentos da agricultura familiar e bandas locais. Uma Carreta-Escola do Senac oferece oficinas.

Local: Praça da Estação, no Centro.

Festival Gospel

O Festival Gospel já entrou para o calendário oficial de eventos da cidade e é um dos maiores do Leste de Minas Gerais. É realizado desde 2018 no primeiro semestre do ano. O evento é uma vitrine para bandas e músicos do município apresentar o seu trabalho.

Local: Praça da Estação, no Centro.

Museu

O Museu Municipal José Avelino Barbosa conta com mais de 200 peças e cerca de duas mil fotografias e arquivo textual que contam a história da região e do Vale do Aço. Muitos objetos foram doados por moradores da cidade, entre eles os familiares do pioneiro da cidade José Avelino Barbosa. Entre as peças do acervo do museu, encontra-se a imagem de São Sebastião que inaugurou a primeira igreja do antigo povoado do Calado, em 1929, e o quadro “O Último Trem”, de Míriam d’Arc, pintado em 1979. Também há objetos curiosos, como televisores e rádios antigos e o primeiro sistema de radiodifusão a funcionar através de alto falantes na região central da cidade.

Local: Rua: Dr. Querubino, 342, Centro – em frente ao Salão Paroquial.

Atendimento: segundas às sextas-feiras, das 12h às 18h.

Telefone: (31)3846-7701.

Onde ficar

Hotel Panorama, Hotel Metropolitano, Hotel Lumiar, Hotel Aquários, Hotel Gaspar

Onde comer

Restaurante Metropolitano, Tarso´s Restaurante, Angra Restaurante, Restaurante Nos Frades, Pizzaria do Jayme, Chilis (mexicana), Cantina do Pedrinho, Churrascaria Encantado, Pimenta de Cheiro, Recanto do Sabiá, Quintal do Sô Zequinha, Tori (japonês),  Baydil (japonês)

Onde comer: Restaurantes, bares, lanchonetes, pizzarias.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.