UNIMED – Home

Um dos mais belos montes do Vale do Piracicaba, e uma das mais impactantes vistas panorâmicas, no Pico do Ana Moura concentra-se o maior número de torres e antenas da Micro Região do Vale do Aço

O imponente Pico do Ana Moura é contemplado por toda a região Centro Norte – Foto: Elvira Nascimento

O mais alto monte da micro região do Vale do Aço, é o Pico do Ana Moura,

com 980 m de altitude, o segundo mais alto do Vale do Rio Doce.

O colosso de pedra, é uma das últimas elevações que formam o conjunto de montanhas do Vale do Piracicaba, que encontra à frente, uma região mais plana, adentrando pelo Vale do Rio Doce.

Em suas bases, na planície de Timóteo, instalou-se em 1940, uma usina de nome Acesita.

Na década de 1940 instala-se a Cia. Aços Especiais Itabira – Acesita, nas proximidades do elevado maçiço de pedra – Foto: acervo Fundação aperam Acesita

Era o terreno mais próximo das minas de minério de ferro, acessível para instalar um grande empreendimento.

Antes da região se converter a um complexo industrial, em 1906, João Rufino de Souza e Ana Maria Moura, chegam de Mesquita, e se instalam na localidade de nome Timotinho, nascente do ribeirão Timóteo, aos pés da altaneira colina rochosa.

No local, cuidavam do gado, da roça de café, e produziam cachaça e rapadura.

Uma das primeiras moradora da região, Ana Maria Moura deu seu nome ao imponente pico

Nas proximidades do monte, outras pequenas fazendas de José Basílio e Manuel Fernandes e pequenas vendas de secos e molhados se mantinham na pacata paisagem.

Da região, avistava uma espessa mata que ia até a margem do Rio Piracicaba. A mata forneceu suas diversas espécies de madeira, utilizadas para erguer a grande companhia de ferro gusa.

Não se sabe ao certo quando o imponente pico recebeu o nome de Ana Moura, que teve 13 filhos e faleceu aos 107 anos em 1972, no bairro que também leva o seu nome.

No local onde Ana Moura morou, foi construído uma escola.

Acima de todas as montanhas que se avistam, um aglomerado de torres e antenas se formaram, assegurando os sinais de rádios, telefonias e tevês.

Protegido pela APA Serra de Timóteo, de seu cume, contempla-se uma belíssima cadeia montanhas,

Acima das montanhas, o Pico do Ana Moura oferece uma das mais espetaculares vistas panorâmicas da região – Foto: Elvira Nascimento

e a conurbação do Vale do Aço.

Apesar do apelo ao turismo, seu acesso requer a segurança militar em seus mais de 4 quilômetros de estreita via, pavimentada.

Ao visitar o Pico do Ana Moura, recomenda-se segurança Militar

Símbolo da cidade, o Pico do Ana Moura, se esconde atras das brumas do inverno, e no verão, sua imponente silhueta é avistada à quilômetros de distâncias.

Do cume, avista-se a conurbação das cidades do Vale do Aço, Timóteo, Coronel Fabriciano e Ipatinga e ao longe, as instalações da Cenibra – Foto: Elvira Nascimento

 

Sua silhueta é vista à longa distância – Foto: Elvira Nascimento

 

Campanha Meio Ambiente/Usiminas – Home Top

Faça um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Você não pode copiar o conteúdo desta página