HOME HEADER 1 – USIMINAS ALTO FORNO 3

Alunos de sete países da América Latina realizaram estudos e desenvolveram planos para os projetos de conservação

Após quase um mês, o O Parque Estadual do Rio Doce – PERD se despede de bolsistas do EDGE of Existence Programme, programa de conservação de espécies ameaçadas mantido pela Sociedade Zoológica de Londres – ZSL. Alunos de sete países da América Latina realizaram estudos e desenvolveram planos para os projetos de conservação de diferentes espécies EDGE, sigla em inglês para “evolutivamente distinta e globalmente ameaçada”. No PERD foi realizada a primeira fase do programa que tem duração de dois anos, chamada de EDGE Tools Course.

Estudantes bolsistas de diversas nacionalidades – Foto: Carly D’Costa

O coordenador do ZSL EDGE of Existence Programme, Paul Barnes, destacou que a escolha do parque para abrigar esta edição do curso foi baseada em diferentes fatores e que superou as expectativas. “Primeiro de tudo, a Mata Atlântica é uma importante área para as espécies EDGE. Outro fator é que precisamos de infraestrutura básica para acomodar os estudantes, ambientes onde possa desenvolver o curso, dar aulas teóricas e aulas práticas e as áreas de floresta, além de um ambiente seguro. O PERD providenciou tudo isso e nossas expectativas foram superadas”, pontua o coordenador.

O analista ambiental Gabriel Ávila, que atua no PERD e participou do curso como representante do Instituto Estadual de Florestas – IEF/MG, destaca a relevância da experiência. “O curso é dinâmico, diverso e atual. Prepara os alunos para exercer um papel de destaque na conservação de espécies e ecossistemas. Especificamente na gestão de áreas protegidas, o monitoramento da biodiversidade é uma agenda de importância extrema, e a equipe de instrutores possuem larga experiencia neste tema e certamente isso irá repercutir na gestão do Parque”, revela Gabriel.

Para a bolsista mexicana, Ilse Martínez, o curso foi uma oportunidade de obter novos aprendizados e ter contato com conservacionistas que atuam na América Latina. “Acho que o curso foi muito útil porque me ajudou a tornar claro diversos conceitos. Agradeço ao corpo de instrutores do programa. O curso oportuniza estar em contato com outros conservacionistas jovens o que pode ser um ponto de partida para futuras colaborações. Estou bem feliz de ter participado e acho que foi uma excelente experiência”, destaca Ilse.

Contato direto com o bioma Mata Atlântica – Foto: Carly D’Costa

O coordenador de projetos para América Latina do ZSL EDGE of Existence, Davi Teles, destaca que esta é a primeira vez que o curso é realizado em um país sul-americano e que estar no PERD foi uma experiência incrível. “O processo não podia ser melhor. O contato com a gestão do Parque foi excelente com todos os setores. Todos gostaram bastante e, além disso, a gente estava muito empolgado para fazer parte da comemoração dos 80 anos do PERD”, avalia Davi.

Como funciona o curso

Segundo Davi, o curso ministrado no PERD é a fase introdutória para projetos de dois anos que visam a conservação de espécies EDGE. “O intuito do programa é fomentar o desenvolvimento de conservacionistas no início de carreira para que eles se tornem líderes locais. A parte fundamental disso é que nesse curso a gente começa a dar as ferramentas básicas para que os estudantes possam pensar no projeto que eles irão desenvolver nos próximos dois anos, criar um plano para esse projeto”, explica o coordenador de projetos.

Durante quatro semanas, assuntos como planejamento, manejo de projeto, orçamentos e fontes de financiamento foram abordados – Foto: Carly D’Costa

O coordenador ainda detalha que o curso aborda assuntos variados, desde planejamento de projetos a questões técnicas da biologia e metodologias. “O curso consistiu em quatro semanas, nas qual a gente falou sobre planejamento, manejo de projeto, orçamentos e fontes de financiamento. Depois a gente teve uma parte que é a semana ecológica, onde a gente entrou nos conteúdos técnicos de ecologia, biologia e também estatística. A última semana e meia do curso foi uma semana social, na qual a gente discutiu as técnicas para poder fazer estudos sociais, porque dentro da dentro do programa essa parte possui muita importância”, finaliza Davi.

HOME HEADER 2 – FABRICIANO 75 ANOS

Faça um Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Você não pode copiar o conteúdo desta página